Teve um carro a álcool.
Teve uma vida a álcool.
Morreu sem carro.


Subiu como um rojão.
Desceu feito olhar de culpa.
Hoje solta biribinhas, fechando os olhos ante o estouro.


Um olhar.
Outro olhar.
Uma miragem feita de nevoeiro e silêncio.


Sim.
Não.
Qual era a pergunta, mesmo?


Salsicha.
Mortadela.
Mas como eram gostosas a salchicha e a mortandela!


Dois neurônios.
Tico e Teco.
Hoje, só me restaram o Tico e o Catatau.


Sobreviveu a um balaço.
Sobreviveu a um câncer.
Morreu de garrafa.


Viveram na saúde e na doença.
Viveram na riqueza e na pobreza.
A Verdade os separou.


Partiu em busca do Amor e da Felicidade.
Era uma pessoa prática, porém.
Pelo menos sexo e dinheiro.


Eu?
Você!
Nós…


?
!