Uma vida inteira dedicada à arte. O ator, diretor de teatro e jornalista Carlos Pallmer, que mora em São Sebastião há mais de 40 anos, vive um caso de amor com o teatro e a interpretação. Nascido em São Paulo, veio para São Sebastião ainda pequeno e, hoje, diz ser “caiçara de coração”. Além disso, também é cidadão sebastianense por reconhecimento, após ter recebido o título da Câmara Municipal. A honraria foi concedida depois que Pallmer realizou trabalho em “teatro de conscientização”, com apresentações em escolas municipais. “Não me lembro agora [no momento da entrevista] quando foi. Sou ruim de memorizar datas”, assume, agradecido pelo título.

Assim como datas, Carlos Pallmer, ou simplesmente o Carlinhos do teatro, assume que “herdou” a tradição e o costume de colegas atores em não revelar a idade em entrevistas para os jornalistas. “Possuo 35 anos de experiência”, despistou.

Experiência comprovada por um currículo de êxito. São 30 peças de teatro dirigidas, 20 encenadas na cidade e, fora, atuou em São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro. Também fez novelas em emissoras como Bandeirantes e Globo, em que participou da trama “Perigosas Peruas”, do autor Carlos Lombardi, ao lado de atrizes de renome, como Sílvia Pfeifer.

Em São Sebastião, Carlos Pallmer iniciou há 25 anos o projeto das Oficinas Culturais, que, segundo ele, já atendeu cerca de 200 alunos entre o Centro, Costa Norte e Costa Sul da cidade. Além disso, foi responsável pela criação e organização, durante 14 anos, de outro projeto que marcou época no município: o Fest’Arte.

Com muito trabalho pela frente, Pallmer, que é formado pela Escola de Teatro Tablado, no Rio, e pela Escola de Teatro Macunaíma, em São Paulo, entre outros cursos importantes, atualmente é coordenador do Teatro Municipal de São Sebastião. “Fui convidado pelo prefeito [Felipe Augusto] e, desde então, estamos trabalhando”, disse ele, o qual, enquanto concedia entrevista ao portal SãoSebá.com, era requisitado pelos funcionários do teatro.

Um novo desafio está marcado para o próximo dia 14, sexta-feira da Paixão, quando será encenada a Via Sacra da Paixão de Cristo, na Praça de Eventos da Rua da Praia, Centro, a partir das 20 h. Será um grande espetáculo, dividido em sete palcos. “Uma produção que envolveu cerca de 200 pessoas”. Carlos disse que a Via Sacra vai ser encenada pelo Grupo de Jovens da Igreja Matriz e pelo Grupo de Teatro Narboni.

O espetáculo é gratuito, mas Carlos pede que o público colabore com 1 quilo de alimento não perecível, que posteriormente será repassado ao Fundo Social de Solidariedade, que doará os alimentos para entidades e instituições municipais.

(Por Marcello Veríssimo)
Fotos: Acervo Carlos Pallmer