Há momentos na vida em que parece que tudo vai desmoronar.  Geralmente, nessas ocasiões, travamos.  Depois, ou afundamos no desespero, ou fugimos para alguma esperança.  Nada disso, porém, resolve o problema.  A única solução é: reconhecer a situação; agir no que for possível; aceitar os terremotos inevitáveis.  Isso é brilhantemente resumido na “Oração da Serenidade”, sempre repetida em salas de grupos de ajuda mútua, como AA e NA: ”Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitarmos as coisa que não podemos modificar, coragem para modificarmos aquelas que podemos e sabedoria para conhecermos a diferença entre elas”.  Não há outra saída verdadeira!